Instruções claras sobre o azeite

  Escreve os seis nomes numa pedra e os outros seis nomes noutra. Compra o leite E o azeite E o ouro puro. As pedras são para pôr aos ombros. Onde quer que entre leva-nos com ele. Estamos lá todos contidos em doze nomes de filhos. Gostava de ver o azeite a escorrer. Nos cabelos, o óleo O rosto, luzidio A barba a pingar As manchas da gordura da oliveira a alastrarem na roupa. Isto seria a união da cabeça ungida E do corpo que faz, Aarão. Estaríamos lá todos nos cabelos ...

Ler Mais

Intimidade

  A intimidade é uma espécie de vapor de água entre silhuetas. Tem tacto fino, Toca ao de leve o nome, di-lo muitas vezes, baixinho, guarda-o. A intimidade fecha os olhos e sente. Abre os olhos e colhe frutos. (É um limoeiro a que se estende um braço. Uma mão arranca.) Nem sempre os come. (Há cestos cheios de maçãs, pêras, laranjas à sombra. Esperam.) As oliveiras que se contorcem ao longo de um eixo longitudinal são santuário de intimidade. Abrigam-na as voltas, a repetição, a cronologia que se conhece E aquele ...

Ler Mais